quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Sustentabilidade e Técnologia - Projeto transforma smartphones sem uso em sensores que denunciam desmatamento.

Entre diversos aparelhos eletrônicos, os celulares e smartphones são os que têm a menor vida útil no Brasil: segundo este estudo, a maioria dos aparelhos é trocada em menos de três anos de uso, seja por defeitos técnicos, ou então pelo desejo de adquirir um dispositivo mais moderno.

Uma nova técnica comprovou que estes smartphones poderiam muito bem estar ajudando as autoridades brasileiras a conter o desmatamento ilegal na Amazônia.

A organização sem fins lucrativos Rainforest Connection desenvolveu uma tecnologia que transforma os aparelhos em eficientes sensores antidesmatamento – eles continuam em contato com a rede de telefonia móvel, e são instalados na copa de árvores, em locais de difícil visualização, onde se mantêm autônomos por meio da captação de energia solar.

De lá, conseguem detectar o ruído de uma serra elétrica a até um quilômetro de distância, avisando as autoridades em tempo real sobre as atividades ilegais. 

Proteger uma área destas dimensões de floresta tropical (mais de três quilômetros quadrados) equivale a retirar três mil carros da rua, de acordo com a Rainforest Connection.

Depois de uma campanha de financiamento coletivo muito bem sucedida, a ONG aplicará seus sensores também na Amazônia e na África.

Veja o estudo que mostra índice sobre o tempo útil dos Smartphone


Fonte da matéria: Globo.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário